“Debaixo dos Arcos” foi, e ainda é, o primeiro blogue não virtual de Aveiro. Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada": o centro do mundo...

10 janeiro 2006

A Terra

tremeu para os lados da região de Lisboa e Algarve (ver informação Público).
Houve claramente um erro de interpretação dos dados sismológicos.
O abalo foi sentido de Norte a Sul, Litoral e Interior, acrescido das Ilhas.
O tremor de terra teve a magnitude de 61% (edição DN). O que significa eleição à primeira volta.
O PS nacional tremeu, abanou e esperemos (após 22 de Janeiro) para ver quem cai.

3 comentários:

RM disse...

Imagino o que não irá acontecer aos velhos edifícios da Buenos Aires e do Largo da Caldas. Fissuras nas estruturas ou desmoronamentos?

Anónimo disse...

veja bem o dn caro amigo, veja bem o dn....e observe os resultados brutos...pode ser que tenha uma surpresa...você só olha para os resultados líquidos...veja lá se tem de emudecer após o dia 22!

migas (miguel araújo) disse...

Em jeito de resposta, à pessoa mais conhecida da blogoesfera: o amigo anónimo:
1. Quando escrevi o post a única informação do DN eram as sondagens (aliás repetidas noutros órgãos) que referiam os valores de 60% de intenções de voto.
2. De facto há a leitura técnica e obviamente política que se deve retirar dos dois tipos de sondagens: as 'liquidas' e as 'brutas'.
3. Digo-lhe mais, pode Cavaco Silva ter de ir a uma segunda volta. Até posso aceitar esse cenário. Isso não invalida a minha opinião e a minha opção política.
4. Após o dia 22 de Janeiro ou a data da segunda volta (se quiser) não faço qualquer intenção de emudecer. Da mesma forma que não me parece ter qualquer sentido racional que o caro anónimo se cale se o seu candidato perder (o que me parece mais óbvio).
5. Mas para lhe ser ainda mais franco e demonstrar-lhe que para mim a política é uma mera questão de convicção e opinião e não dependo disso para viver, nem faço disso qualquer batalha, até confesso mais:
-Se Cavaco Silva não ganhar à primeira volta (o que para mim resia complicar o processo), não tenho qualquer tipo de conflito interior ou constarngimento político em dizer-lhe que terei algumas dúvidas que ganhe as eleições, dependendo de alguns cenários.
Se Cavaco Silva passar à segunda volta com qualquer outro candidato que não Mário Soares, acredito que Cavaco Silva não tenha dificuldade em sair vencedor.
Se a segunda volta for com a concorrência de Mário Soares, tenho dúvidas que toda a esquerda não se una e provavelmente será um 'combate' muito mais dificil para Cavaco Silva.
Esta é a minha leitura e a minha convição. A minha opção política diz-me que vou votar e continuar a defender a candidadtura de Cavaco Silva... desinteressadamente
Volte sempre.