“Debaixo dos Arcos” foi, e ainda é, o primeiro blogue não virtual de Aveiro. Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada": o centro do mundo...

19 março 2006

Amuos!

Ganhar ou perder é desporto.
Na política, ganhar ou perder é muito diferente. Democraticamente ou acontece uma coisa ou outra, i.e., perde-se ou ganha-se de facto.
A propósito das cinco personalidades do Conselho de Estado que o Presidente Cavaco Silva acabou de escolher, o PCP emitiu um comunicado, onde, como é seu hábito, a realidade e os factos são deturpados.
A realidade...
Que o Presidente da República entenda, sobre qualquer assunto, ouvir em audiência os partidos políticos com assento parlamentar (bem como outras individualidades da sociedade) é uma realidade constitucional. Já o Conselho de Estado é um orgão consultivo da sua inteira responsabilidade e confiança.
Daí que seja legítimo que o Presidente da República escolha aqueles que muito directamente o apoiaram na sua eleição, os seus amigos e os seus "confiantes" políticos.
Os factos...
Quando o Partido Comunista, no seu comunicado, refere que Cavaco Silva quebrou a "tradição" de o Conselho de Estado ter a representação dos principais partidos nacionais, deturpa factos que nada têm a haver com a história presidencial mais recente.
Cavaco Silva usou precisamente os mesmo critérios (!) que o seu antecessor Dr. Jorge Sampaio.
A diferença é que a história e a tradição eleitoral de Belém mudou em Janeiro último.
Pela primeira vez o PCP perdeu o seu candidato natural.
Assim, onde nos mandatos de Jorge Sampaio figurou a presença no Conselho de Estado do PCP, agora figuara a presença do CDS.
Estranho é que o PCP só agora se venha mostrar preocupado e alarmado com a representatividade política no Conselho de Estado, quando nada disse, nem nada publicamente comunicou, pelo simples facto de o Dr. Jorge Sampaio não ter escolhido, anteriormente, niguém ligado ao CDS.
É muito mau perder. É anti-democrático.
É amuo infantil.

2 comentários:

Joao Pedro Dias disse...

Caro Miguel,
Em abono da verdade - o Dr Jorge Sampaio, quando teve de fazer nomeações para o Conselho de Estado, como a Assembleia da República apenas elegeu representantes do PS e do PSD, ofereceu um elemento da sua quota pessoal ao PCP e outro ao CDS. O PCP aceitou e sugeriu o Dr Carvalhas - que Jorge Sampaio indicou pela sua quota pessoal. O CDS recusou. Não recordo de memória se a recusa foi feita pelo Dr Portas ou pela figurinha que o antecedeu na presidência do Partido. Nem isso é relevante para o caso. Recusou - e pronto. Um abraço. JPD

migas (miguel araújo) disse...

Em nada invalida o facto de o PCP não se ter sentido incomodado, seja por que razão tenha sido, face à falta do CDS.
E gostei da referência: figurinha...