“Debaixo dos Arcos” foi, e ainda é, o primeiro blogue não virtual de Aveiro. Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada": o centro do mundo...

16 janeiro 2006

Entre Vistas...

O Diário de Aveiro publica hoje (ver aqui) uma curiosa entrevista com o Dr. Raúl Martins - ilustre deputado municipal da bancada socialista e respeitoso 'companheiro' da blogoesfera aveirense.
Categórico nas criticas à maioria do actual executivo, entre 'carapuças' e 'física quântica', a entrevista revela, ao sabor das questões colocadas, que a realidade financeira da Câmara é grave, problemática e que este executivo terá tarefa nada facilitada na gestão e estruturação do concelho. Concorde-se ou não com os números apresentados, certo é que a realidade não deixará de estar muito próxima da análise feita pelo executivo de Élio Maia. Até o próprio entrevistado não tem dúvidas.
No entanto, dada a experiência financeira e de gestão do Dr. Raúl, as suas palavras não trouxeram surpresas... para além da contextualização do assunto e o seu ponto de vista discordante.
Surpresa foi conseguir discernir, embora timidamente, algumas outras curiosidades.
Por exemplo, apesar das aprovações em AM da maioria das opções do Dr. Alebrto Souto, a gestão do anterior executivo não foi do seu agrado, já que se estivesse naquele lugar teria tomado outras decisões (o que não dúvido), embora sem assumir afirmativamente a sua crítica.
A tal gestão que não quis abertamente defenir como a causa mais que lógica para a derrota nas últimas eleições autárquicas. É que Aveiro julgou a obra, as prioridades e as assimetrias do concelho (freguesias vs cidade). Sem por em causa que a contestação governativa também pesou. Mas não houve também mérito na foma como a coligação abordou a campnha e as eleições?!
Mais timidamente esteve a análise que fez às inquietantes renúncias de mandatos dos eleitos socialistas para os lugares de oposição na vereação. Para além de vago, diria mesmo muito vago, no papel do PS como oposição. Porque me parece percepitada (ou não) a afirmação que faz de que "não há um bom governo sem uma boa oposiçãp e a oposição foi, nos mandatos do Dr. Alberto Souto, muito má". Quer com isto dizer que uma oposição que se revelou má, terá provocado (objectivamente) uma má gestão?! Se assim for... é de coragem!
Por último, adivinho curiosas e surpreendentes delineações eleitorais futuras, nas hostes socialistas locais.
Embora ainda longínquas e com muito caminho para desbravar, não deixa de ser curiosa a questão do Diário de Aveiro sobre uma possível candidatura autárquica. O "absolutamente fora de causa", faz-me 'absolutamente' lembrar alguém que há um ano atrás dizia: "Vida Política - BASTA!" E hoje...
Não se acanhe doutor... olhe que pode ter surpresas no seu eleitorado e base de apoio!
É que em política, como saberá melhor que eu, nunca podemos dizer "desta água não beberei"!
Veja o exemplo do meu ex-presidente Dr. Freitas do Amaral!
Hoje é hoje... amanhã logo se vê!

14 comentários:

Anónimo disse...

ele há realmente uma capacidade diferente de fazer leitura da mesma coisa...eu já sabia que sim quando num jogo de futebol há televisões que não transmitem a mesma imagem...

Terra & Sal disse...

Caro “Migas”
Também li a entrevista do Dr. Raul Martins no Diário de Aveiro.
Engraçado com se lendo as mesmas coisas as interpretamos de modos diferentes.
Sempre assim foi e sempre assim será. É natural, é humano, de qualquer modo deixe tecer duas ou três considerações que você é um brincalhão:

É natural que o Dr. Raul Martins tenha um modo e uma maneira de ver e de governar uma empresa como outros têm modos diferentes de o fazer.
A Coligação CDS/PSD também deve ter uma, embora e para já, ninguém saiba qual será. Você sabe?
Vai só receber impostos e pagar dívidas?
Sabe-se pelo que se lê que apenas vão continuar com parte do delineado pela Câmara Socialista, o que é muito pouco. E sendo tão desastrada a gestão Socialista como é que aproveitaram os seus projectos?...

Não li a tal crítica mesmo velada do Dr. Raul Martins à Câmara Socialista. Apenas disse que o primeiro mandato em sua opinião foi melhor que o segundo.
Não disse que o segundo foi mau, como é que viu isso?
Você “viu” e “leu” as assimetrias entre a cidade e as freguesias.
Eu nem li nem vi isso lá, aliás como não existiu assimetrias na realidade.
Todas as freguesias tiveram obra mas boa obra feita de S. Jacinto a Nariz.
Com certeza que primeiro a Câmara tratou da cidade, sala de visitas do concelho, visitada por milhares de turistas de todo o lado, de todo o mundo, mas não desleixou as freguesias acredite, dê uma volta e verá. Até no saneamento 99% em todo o concelho.

Ele também não condenou a saída de alguns dos vereadores do Partido Socialista que estavam apostados no projecto da Câmara Socialista, eu não li isso.
Outra coisa não seria de esperar da parte do Dr. Raul, já que, ele reconhece naquelas pessoas, profissionais competentes e credenciados que se disponibilizaram para um projecto para Aveiro e que, tendo o seu projecto sido renunciado aquando das eleições, ficam ilibados de qualquer responsabilidade e foram para onde as suas capacidades são possivelmente mais úteis. Esta é já a minha opinião, claro.

De qualquer modo, ainda ficaram bons e suficientes vereadores socialistas para influenciarem a Câmara nos superiores interesses dos Munícipes, assim a Coligação tenha a humildade de os ouvir.
Por outro lado eu penso que “Quem tem o poder, deve exercê-lo plenamente”!
Não quero ocupar o seu simpático Blog com muitas considerações que poderia ainda tecer, mas acredite que, de há 100 anos a esta parte nunca ninguém fez tanto por Aveiro como fez a Câmara Socialista.

Daqui para a frente vamos aguardar pacientemente, para já e durante mais meia dúzia de mesitos vamos andar com contas para cima e contas para baixo, depois vai cansar e os Munícipes vão querer mais do que conversa fiada.
Sabe, estavam habituados a pouca conversa e muitas obras!
Não brinque com essa coisa da estratégia e a forma como a Coligação abordou a campanha e as eleições etc. Ganharam, efectivamente ganharam, nem eles sabem como foi e de certeza que não foi por ter feito uma campanha assim ou assado que isso é gozar com o pessoal.

Se realmente pensassem um bocadinho que fosse nessa hipótese, acha que o Dr. Élio alinhava com a equipa que tem?
Vamos aguardar calmamente amigo “Migas” vamos aguardar e que a Santa Joana guie o Presidente e os seus colaboradores no superior interesse de todos nós Aveirenses.
Com amizade
Terra & Sal

Anónimo disse...

com o devido respeito, "embrulhe" lá esta!
respeitosos cumprimentos

RM disse...

Caro Migas,
Quando colocou este "provocativo" post, sabia que eu não resistiria a vir aqui responder pois sabe muito bem do meu gosto pelo confronto político (leal).
Gostaria no entanto de, ao modo como teceu os seus comentários, lhe deixar algumas notas:
- Ficou-me a sensação que o Migas não discorda de que há cabeças onde servem à perfeição as carapuças de que falei.Certo?
- Também não discerni nenhuma grave divergência relativamente às noções de "fisica quântica" que enunciei.Certo?
- Tenho a certeza que concorda que a forma de abordagem ao problema da dívida por este executivo é, no mínimo, peculiar. Certo?
- Finalmente é muito mais difícil eu ser candidato do que o Migas, e os seu amigos, me apoiarem (ou do que Cristo descer outra vez à terra)se eu o fizesse (o que está absolutamenet fora de causa).
Cumprimentos

migas (miguel araújo) disse...

Terra & Sal
Caríssimo
É com gosto e muito respeito que acolho sempre um bom e honesto comentário, mesmo que discordante do que entendo por mais correcto. E gaste os caracteres que quiser.
No entanto deixe-me apenas referir, por mero esclerecimento:
Eu não disse que o Dr. Raúl tinha afirmado que os mandatos do Dr. Alberto Souto tinham sido maus.
O que interroguei (e coloquei !? no fim da frase) foi a expressão do Dr. Raúl sobre o bom governo e a má gestão. Apenas isso.
E quanto ás assimetrias no concelho, não foi nada lido na entrevista do Dr. Raúl, mas foi um conceito que tenho sobre uma causa da derrota socialista. Foi feito muito pouco nas freguesiais... acredite que fo!
Por último... quanto à responsabilidade política de assumir os cargos para os quais foram eleitos, salvo o caso de quem se candidata a presidente, mesmo que o projecto seja chumbado através do voto, existe sempre a ligação e o compromisso com quem votou. Senão não faria sentido a existência de oposições. Quem perdia ia para casa. Não faz muito sentido. Pela democracia.
Volte sempre
É bem vindo.
Cumprimentos

migas (miguel araújo) disse...

Caríssimo Dr. Raúl
Os comentários que fiz à sua entrevista, foram feitos com todo o respeito que me merece. Pelo seu empenho por Aveiro, pela sua experiência profissional, independentemente de se situar numa margem diferente.
Não referi qualquer comentário sobre a dívida ou sobre o executivo, porque é a sua 'eficiente' opinião e eu já referi que tão cedo não vou comentar politicamente o executivo actual (maioria e oposição).
Apenas limitei-me a comentar o que vejo de forma diferente da sua. Com todo o sentido democrático e pluralista. E acima de tudo consideração e respeito. Mas é outrao forma de ver.
E não me esqueço de ter lido, com um grande sentido de respeito pela coragem e abordagem que fez no pós eleitoral.
Comentei mais porque (obviamente pela sua posição política) se mostrou mais incisivo nas questões com o executivo e menos com as relacionadas com o PS. Entendo-as, mas posso não concordar. Principalmente no que refere em relação às renúncias. O Dr. Alberto Souto concordo perfeitamente, agora com os restantes, nomeadamente o meu amigo Eduar Feio, acho que por uma questão de compromisso com o eleitorado que votou no projecto socialista, não deveriam ter renunciado. É óbvio que em primeiro lugar está a carreira profissional e a vida particular de cada um. Mas isso não impede a critica. Acho, modestamente.
E para terminar... o assunto candidatura não era brincadeira, independentemente da dúvida se votava ou não em si.
Mas que peso terá o meu voto?!
Um abraço com amizade e respeito.

sequestrado disse...

Seria impossível ler o comentário, quase em jeito de defesa muito pessoal, do caríssimo Terra & Sal (como o de Aveiro??) e não reagir a algumas deturpações claras e evidentes da realidade.

Em primeiro lugar, quem lê interpreta o que lê. É um evidente direito que lhe assiste e apenas pode ser restringido pelo maior ou menor cuidado que o entrevistado ponha nas palavras ou expressões que utiliza. Portanto, caro T & S, também eu li e interpretei clara e inequivocamente que o Dr. Raúl Martins iniciava, com esta entrevista, o caminho público de demarcação da gestão do Dr. Souto na CMA. Escusa agora de vir defender-se, é extemporâneo e quem disse que o primeiro mandato foi melhor do que o segundo não fui eu. E claramente o Dr. Raúl quer afastar-se da gestão do Dr. Souto, como aliás comprova o comentário a este posto, onde não faz sequer uma única referência a este facto.

Em segundo lugar, melhor seria que alguém, mesmo que procurando protagonizar a liderança da fraquíssima (por enquanto...) oposição socialista, viesse para as páginas dos jornais denunciar ou confirmar tudo aquilo que a grande maioria dos aveirenses sabe e que o Sr. citou: a verdadeira e realmente existente assimetria entre as freguesias urbanas, semi-urbanas e rurais, os projectos eternamente adiados por falta de vontade e/ou peso político, o enorme buraco financeiro a que a gestão socialista conduziu o Município. Caso o fizesse, talvez até o acusassem de ser um dos ratos de que ele fala na célebre entrevista, não acha? E francamente, vir agora dizer que o PS está bem representado na vereação camarária...Bastava um inquérito de rua para ver quem os conhecia!

Quanto ao investir na cidade como sala de visitas do município, blá, blá, blá, tem a certeza que foi o Sr. que escreveu isso? Não terá sido o Dr. Souto? É que esse discurso é-me tão familiar e a sua necessidade de vir a terreiro defender-se de uma forma tão abrangente e quase tão detalhada como o Dr. Souto o faria nos seus tempos áureos, faz-me lembrar tempos idos.

Quanto às eleições, caro T & S, está o Sr. redondamente enganado; não foi a Coligação que nem soube como as ganhou. O PS é que nunca as pensou perder e, até hoje, não sabe nem procura saber porque é que as perdeu; aliás, creio até que o principal responsável poucas ou nenhumas justificações dará, agora que virou fantasma e está, finalmente caladinho.

E quanto à boa obra, ó Caro Amigo, tenho a mais absoluta das certezas que o Sr. partilha do velho princípio de que a boa obra é a que se manda fazer e depois se paga no prazo combinado; é que se não se pagar, depois não se pode devolver um túnel, que ninguém compra, ou uma estátua, ou 10 km de betuminoso. Está-me a compreender?
E não se esqueça das célebres obras adjudicadas só para encher o olho, das quais cito duas: a Av. de Sta. Joana, que nem sequer ainda tem os terrenos disponibilizados e, mais ridículo, ainda existem quatro (4!) casas exactamente no local onde deverá passar a avenida; e o parque de estacionamento atrás do OITA, constante do programa eleitoral do Dr. Souto, todo arranjadinho, alcatroadinho e que em bom português se chama "fazer filhos em mulher alheia", visto que os terrenos em que se situa nem sequer são da CMA.
Isto é que é boa obra?
Tenha paciência, caro T&S. Defenda-se mas com respeito pelo trabalho dos outros. Olhe que quem perdeu deixou muitos rabos de palha e o Sr. é capaz de saber disso.

Cumprimentos e desculpas pelo alongar da prosa.

Terra & Sal disse...

Caro sequestrado:
Nas minhas rondas pelas praças do bem e maldizer, encontrei-o “Debaixo dos Arcos”, sítio geralmente aprazível para amena e reconfortante cavaqueira civilizada depois de um dia de trabalho.
Fui confrontado com a sua ira, que procuro compreender o porquê, já que na minha opinião, não há pessoas más, apenas gente infeliz, o que não será o seu caso!

Na conversa que desenvolveu, porque o sítio também é seu, fez uma crítica feroz, mesmo ofensiva à minha pessoa sobre os meus pontos de vista da entrevista concedida pelo Dr. Raul Martins, ao Diário de Aveiro.
E nos mesmos modos continuou sobre o que penso de Aveiro e para Aveiro, da Câmara Socialista que achei ter sido ímpar para a cidade pelo que ela evoluiu e se modernizou. Tudo feito na minha boa fé!

Parto do pressuposto que acutilante como entrou na discussão, não é sua intenção com toda a certeza virar-me seja contra quem for e muito menos contra o Entrevistado até porque não lhe vou dar essa oportunidade.
Sobre ela reafirmo aquilo que já disse. Achei-a boa e imparcial!

Depois vem falar aqui de ratos, e estou a citá-lo a si, e na parte que me toca, quero dizer-lhe que “ratos” só conheço um e, julgo que esse, não é de boa memória para ninguém, e longe de mim pensar que você seja um qualquer ratito de sacristia.

Ataca, sempre em fúria os Vereadores Socialistas dizendo entre outras coisas que não são conhecidos na cidade, etc.
Desconhecidos? Bem você não é obrigado obviamente a conhecer toda a cidade, se calhar até os seus relacionamentos são muito restritos, muito condicionados, não sei mas permita-me a conjectura.

Você conhecê-los ou não, isso é pouco importante, é mesmo irrelevante.
Até hoje têm dado sobejamente provas das suas capacidades e competências e mais, como complemento lhe digo, gozam de bom-nome na praça como gente de trabalho e que não se furtam nunca a isso.
Ao contrário de muita boa gente “desafirmada” mas “afamada” que não consegue fazer constar isso nas suas credenciais curriculares.
Só por isso já lhe deviam merecer muito respeito.

Por outro lado, esse seu comentário descabido e ofensivo fez-me lembrar um ilustre desconhecido que veio do Algarve até à Figueira da Foz fazer a rodagem ao carro e saiu-lhe ser primeiro-ministro deste país. Admiro e aplaudo o homem por isso.
É que gente com supostos dotes oratórios brejeiros, geralmente é fraca tralha e nunca chegam a lado nenhum!

Quanto às eleições autárquicas dou-lhe razão.
Quem perdeu a Câmara foram os Socialistas. A Coligação não precisou de a ganhar…
Será que compreende?
Sobre a cidade como sala de visitas e mais os seus blás, blás….foi efectivamente muito importante tudo aquilo que a Câmara Socialista fez e a maneira como promoveu Aveiro no país e no mundo.
De tal modo, que é bonito ver o Vereador do CDS a expor para a fotografia para que conste, as placas de distinção com que Aveiro é galardoada, ganhas pelo mérito dos Socialistas!

Quando fala do Dr. Alberto Souto, pareceu-me ver mover em si um sentimento de raiva e, simultaneamente, de culto de personalidade e olhe que ambos são condenáveis.
Eu, pela parte que me toca a mim, não lhe devo um chavo e ele a mim, do mesmo modo, nada me deve.
Nunca dele precisei e ele nunca nada me pediu.
Reconheço nele um homem inteligente mas imagine quanto ingénuo é ao ponto de não saber esta máxima popular:
“Nunca se deve dar pão a cão vadio porque mais dia, menos dia, ele morde-nos as mãos”
Gostava de continuar mas, como disse, os alongamentos são sempre fastidiosos.
Receba de qualquer modo também os meus cumprimentos e tempere-se com,
Terra & Sal

migas (miguel araújo) disse...

À atenção dos caríssimos Terra&Sal e Sequestrado.
Amigos...
Como disse inicialmente Terra&Sal, o que desde já agradeço, este espaço, independentemente da opinião política do seu autor (eu, claro!) é um espaço aberto, democrático e pluralista. Mas acima de tudo repeitador das opiniões e convicções de cada um, bem como do respeito pelo bom nome das pessoas de bem. Assim, é vosso também. Usem-no... 'ataquem-se'... 'devorem-se'...
Mas respeitinho.
Se 'descambara' para a ofensa pessoal ou ofensa a outros visados, lamento, mas mesmo por teclado, há a 'borrachinha'!
Força
Abraços

sequestrado disse...

Caro T&S, será esta a última vez que comentarei algo esrito por si(???) ou até pensado por si.
Claramente, quem descambou para o insulto fácil, demagógico, violento e despropositado foi o prezado Amigo, porventura até com sotaque do norte.
Quanto aos meus conhecimentos, irrelevantes ou não, nem sequer lhe dizem respeito e tão pouco lhe reconheço legitimidade para sobre eles conjecturar. Está-me a compreender?
Quanto aos currículos afirmados e afamados, realmente há-os por aí e em larga quantidade. Tem toda a razão o Amigo. Foi pena ainda não se terem lembrado de si. Talvez para uma próxima, se continuar a dizer maravilhas do Dr. Raúl Martins...
E de cães vadios está realmente a cidade cheia; bem se tentou, na anterior Câmara ampliar as instalações do canil, mas houve quem se opusesse...
Amigo T&S, tenha cuidado com o modo como reage; pode fazer-lhe mal ao coração. E nas minhas anteriores palavras só o amigo perebeu fúria, vingança, raiva, culto de personalidade.
Já experimentou uma cura de termas anti-stress, ou é daqueles que ainda anda à procura das razões para a derrota?
Não o cumprimento, sinceramente porque deixou de me apetecer.
Caro Migas, sinta-se perfeitamente à vontade para usar a "censura" se entender que ultrapassei os limites.

migas (miguel araújo) disse...

Como dizia o outro.
Oh meus amigosesssssssssss!
Contestem-se... Confrontem-se. Mas democraticamente e sem essas medidas tão radicais.
Ninguém precisa de pensar da mesma maneira. Isso seria muito mau par a sociedade e a democracia.
E amigo Sequestrado.
Leve a fundo o que bem lhe apetecer. Reaja como quiser. Conteste. Discorde profundamenet.
É a democracia, o pluralismo e o direito à diferença.
Mas não se deixe ir abaixo.
Não desista. Porque é que há-de deixar de comentar o que o caríssimo Terra&Sal disser?!
Isso é 'perder' aos pontos. E não me parece que vocês sejam perdedores.
Mas, volto a frisar, bem alto. NADA DE BAIXAR O NÍVEL!

Terra & Sal disse...

Engraçado como o Amigo sequestrado não reconhece o comportamento que, voluntária ou involuntariamente, tem e teve quando se dirige aos meus escrevinhados.
Esqueceu uma velha máxima que devia respeitar
“Comportamento gera comportamentos”.
Mas tenho outras que preservo também e lhe dou de barato
“Nunca sejas Humilde para quem é arrogante, nem Arrogante para quem é humilde”.

Perdoo-lhe tudo porque se penitenciou com o que disse no seu primeiro parágrafo.
Querendo, mais uma vez, ofender-me, acabou por me traçar um rasgado elogio que me sensibilizou.
Refiro-me àquelas dúvidas que persistem no seu espírito “se sou eu que escrevo ou até se sou eu que penso” (acho que devia ser ao contrário, mas isso não interessa).
Foi uma lisonja que vou imprimir, para trazer no bolso e ler repetidamente quando andar com a auto-estima em baixo.

E perante isto, alego a todos os que porventura passem por “Debaixo dos Arcos” e é muita e boa gente, que o senhor não é uma pessoa má.
O seu comportamento e temperamento são apenas uma questão de Estrutura Orgânica.
Quanto a currículos, acredite, não os tenho.
Quanto ao lembrarem-se de mim, dispenso que o façam.
Já muita coisa me passou à porta e sempre dispensei mordomias.

O pouco que consegui na vida, uma riqueza para mim, foi por mérito próprio com 95% de trabalho e 5% de inspiração.
Fui ensinado, pelo exemplo, a viver com humildade.
Dão-me gozo coisas simples, olhe como estar aqui nas minhas horas de lazer a escrevinhar para o simpático Blog do “Migas” que não conheço mas que, pelo seu comportamento, me merece muita estima.

Não sei por que carga de água foi buscar para aqui o Dr. Raul Martins.
Até hoje precisei tanto dele como do Dr. Alberto Souto como mencionei no escrito que, erradamente, no meu ponto de vista repudiou.
Espero continuar a não precisar de ninguém.
Mas se precisar de uma malga (à norte como diz) de sopa (caldo à norte) e lhe bater à porta dizendo ser o Terra & Sal, ele não a recusará, estou certo.
Como o inverso também isso acontecerá, (o diabo seja surdo e mudo, para os 2 lados).
Claro que este pensamento é extensivo a todos aqueles que vierem a precisar, até mesmo a si que, ao contrário do que parece pensar, não considero meu inimigo.

Quanto à Câmara, cães vadios da cidade etc. que mencionou, eu na ocasião, dei uma modesta opinião aos governantes de antanho.
Queriam fazer um canil como disse e bem.
Incluía uma incineradora para os animais que morressem, fossem encontrados mortos, cães vadios que vagueiam pela cidade, etc.
Digo-lhe os números que foram aventados:
Ficava à volta de 300 mil Euros. Acharam um preço exorbitante! (os somíticos)

Lembro-me de ter proposto alguém que, a troco de 20 euros por cada cão que apanhasse, não os mataria nem maltrataria e os meteria no carro sem mais quaisquer outras expensas para a Câmara e os “despejaria” aqui num concelho próximo, que por razões óbvias não lhe vou dizer qual.
Imagine que repudiaram a minha ideia. Cambada!
Vou acabar,
Também eu tenho uma vontade manifestamente intrínseca neste momento de não mais o incomodar e sei que não me vai voltar a interpelar, mas sabe, ninguém pode jurar que “desta água não beberei”.

Como última observação, não acredite nos políticos, mesmo os da nossa praça que lhe dizem que o Terra & Sal é A ou o B, que é do sul ou do norte, pois isso dá-me muito gozo (nem eles imaginam) e depois…conhece algum que não seja um mentirosito? Guarde a resposta para si.
Mas seja de cá ou de lá, acredite, até hoje tenho sido uma pessoa de bem e espero continuar a sê-lo, mas também tenho a minha Estrutura Orgânica, pois então!
De qualquer modo e já que não nos voltaremos a cruzar, aceite com sinceridade, os meus desejos de tudo de bom para si.

Meu bom “Migas”
Julgo não ter sido ofensivo nem com o seu Blog, que respeito, nem com o simpático de algum modo, Sequestrado.
Por isso deixo ao seu critério promulgar e mandar publicar ou, em alternativa e do mesmo modo, subscrevendo humildemente as palavras do meu “interlocutor” mande tudo para a lixeira e desculpe a cabazada de caracteres.
Aceite os meus cumprimentos com simpatia,
Terra & Sal

sequestrado disse...

Caro Migas, evidentemente que não seriam comentários, explanações, dissertações ou até delirantes lucubrações, como as que alguns ilustres visitantes do seu blog aqui deixam, que me fariam desistir ou "perder aos pontos". Nem sequer se trata, neste caso, de ganhar ou perder o que quer que seja.
Trata-se, tão simplesmente, de entender que contra tão ilustre prosa, tão arrebiocada escrevinhação, tão esclarecida verborreia, é-me, de facto impossível competir ou estar à altura... O que quer o meu Amigo? That's the way things are e o Princípio de Peter é realmente basilar e de capital importância na vida de cada um de nós.
Qum escreve assim não é certamente maneta sendo embora, tal como eu, um "anónimo", embora muito mais ilustre do que eu.
Não tem currículos, sua ou suou que se fartou, sempre puxou muito pela massa encefálica com resultados aparentemente sofríveis (os tais 5% de inspiração) mas certamente sempre muito bem aproveitados, a vida sempre lhe terá corrido de feição, leu certamente umas coisitas bem interessantes e a sua biblioteca deve ser deveras encantadora.
Caro Migas, estamos perante um verdadeiro homo sapiens, versão beira ria ou até beira-mar. E contra isto nada feito. Sobretudo nada feito, quando o que tenho a contrapor é a minha pobre estrutura orgânica...
É a vida e dela não nos podemos queixar; a ela nos devemos fazer, com alma e coração (mas que máxima tão mínima, não acha? Lá terá que pedir à enciclopédia T&S mais alguns exemplos...).
Deixe-me que lhe diga, Migas, que efectivamente me tenho na conta de uma pessoa boa. No entanto e com tudo o que para aí vai, acho que ninguém está a salvo de uma contaminaçãozita, dos tais mentirositos de quem se fala e que por aí andam. Não reconheço é a nenhum T&S, por mais letrado e enciclopédico, versado ou conhecedor, a legitimidade de avaliar sem permissão as minhas qualidades enquanto pessoa. E deste ponto não abdico. Dispensando até paternalismos bacocos e escritos palavrosos mas vazios.
Como muito bem aqui li, comportamentos geram comportamentos e este é o meu. Doa a quem doer.
Quanto ao resto, amigo Migas, não passam de palavras de circunstância, tantas vezes repetidas sem sentido e sentimento, apenas para encher espaço e olho. É o caso.
Cumprimentos.

Terra & Sal disse...

Meu caro Migas:
Eu bem quero sair do aprazível “Debaixo dos Arcos”, ir dar uma voltinha por aí, sentar e distrair, sei lá, em qualquer um dos muitos lados como ali nos muros da Ria para os lados do Rossio, olhando os moliceiros e tranquilamente “pensá-los”.
Mas que quer, não mo deixam fazer, não me largam de mão.

Ao iniciar-se um “combate” franco e aberto munidos da nossa Razão, os únicos golpes que devemos aplicar são os da consciência e da alma, libertos de quaisquer interesses mesquinhos, pois só assim se é livre.
Geralmente, este entusiasmo faz-nos mergulhar sem hesitar num mundo de paixões que faz sempre parte da nossa vida.
Somos livres para escolher o que desejamos e depois das decisões pensadas e tomadas com coragem, devemos jurar a nós próprios, depreendermo-nos de interesses menores e partir para a Cruzada.

À medida que a luta avança, descobre-se que o entusiasmo e o treino de alguns, sequestrados pela ignorância, o maior inimigo do homem e mãe de todos os males, é diminuto e não reúnem condições para aquilo que desenvolvemos com muita meditação e ensinamentos e, enfrentá-los, é desmotivante.

Melhor é mesmo esquecer os seus Gritos de desespero.
Continuar para quê? Se lhes falta a experiência, sabedoria e entusiasmo e só têm como força a sua gigantesca ignorância atrevida?
É que um homem livre não passa os seus dias a tentar representar o papel que os outros escolheram para ele.
Até sempre “Migas” um abraço
Terra & Sal