“Debaixo dos Arcos” foi, e ainda é, o primeiro blogue não virtual de Aveiro. Espaço de encontro, “tertúlia” espontânea, “diz-que-disse”, fofoquice pegada, críticas e louvores, ..., é uma zona nobre da cidade, marcada pela história e pelo tempo, onde as pessoas se encontram e conversam sobre "tudo e nada": o centro do mundo...

22 dezembro 2005

Excessos lamentáveis.

Sou assumidamente democrata-cristão.
E sou assumidamente democrata, no sentido lato e na essência do significado político do termo.
E..
Estou envergonhado!
Radicalismos são, a todos e quaisquer níveis, reprováveis. Sejam eles da direita ou da esquerda.
Radicalismos, autoristarismos ditatoriais, totalitarismos, etc.
Numa época em que o terrorismo é um dos 'flagelos' da humanidade, ouvir as palavras do responsável máximo do CDS.PP afirmando que o terrorismo "é o último dos filhos" do comunismo ou que o terrorismo tem origem numa deriva totalitária extremista e cruel cuja raiz de pensamento é de Esquerda, é grave, é anti-democrático, é triste e é reprovável.
Para quem ainda há bem pouco tempo lembrava a memória saudosa do 'nosso' Adelino Amaro da Costa, nem este (que viveu a experiência do cerco esquerdista a um congresso do cds) se 'atreveria' a tão catastrófica afirmação.
Não temos que ter a mesma visão do Homem, da Sociedade, da História e da Política. Temos é que ter o bom-senso de não 'cairmos' em discursos excessivos e disparatados.
Enfim... lamentável!

3 comentários:

Cagaréus&Ceboleiros disse...

Concordo plenamente.
Até porque desse ponto de vista o fascismo brota de uma certa direita.
Resumindo o erro é o fundamentalismo, qualquer que seja a ideologia.
Renovo os meus votos de um Santo e Feliz Natal e um 2006 melhor que 2005.

RM disse...

Radicalismos são, a todos e quaisquer níveis, reprováveis. Sejam eles da direita ou da esquerda.
Gostei. Parabéns.
Raul Martins

2ª feira na AM OK?

Diogo Machado disse...

Caro Miguel, também eu sou assumidamente democrata-cristão e não podia estar mais de acordo com as tuas palavras. Simples, sintéticas e dizem tudo. Pena que o rapaz não se tenha lembrado das nossas fontes de inspiração ideológicas e de actuação, logo ele que tem muito mais obrigação disso.
Um óptimo Natal para ti e para todos os teus.
Um abraço.